Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.agencia.gov.br:8080/conhecerhana/2779
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorPEREIRA, CÍCERO TELES COSTA-
dc.date.accessioned2020-05-07T20:19:33Z-
dc.date.available2020-05-07T20:19:33Z-
dc.date.created2017-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.urihttp://dspace.agencia.gov.br:8080/conhecerhana/2779-
dc.description.abstractSegundo consta no Cenário Atual dos Recursos Hídricos do Ceará, estudo publicado pelo Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará (ALEC, 2008, p.95): As causas da desertificação no semiárido são reconhecidamente marcadas pelo extrativismo da madeira, super pastoreio, uso intensivo da agricultura, desmatamento desordenado, queimadas, manejo e utilização incorreta do solo, irrigação mal conduzida, e outras ações antrópicas que causam o esgotamento dos recursos naturais. Inserido nesta realidade, o quadro atual do semiárido reflete a utilização não sustentável dos recursos naturais, de forma geral e, mais especificamente, dos recursos hídricos (como é o caso da agricultura irrigada, que apresenta geralmente uma baixa eficiência), e tende a diminuir a disponibilidade de água principalmente para as populações mais carentes. Para reforçar essa realidade, inserindo a região da Ibiapaba nesse contexto, o Instituto Agropolos (2011, p.66) acrescente a no Resumo do Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável, que: O Território Serra da Ibiapaba se insere no semiárido por ter uma fragilidade quanto ao meio ambiente onde este varia de moderadamente instável a ambientalmente estável devido a causas naturais como declividade, e a causas antrópicas como o desmatamento continuado das matas ciliares e nascentes com consequentes assoreamentos, a ocupação indevida das encostas e do entorno dos reservatórios, a utilização de queimadas para limpeza do solo, utilização de agroquímicos, o lixo urbano depositado de forma inadequada e ainda problemas de ordem natural como a erosão de áreas de pastos, encostas ou provocadas pela mecanização agrícola inadequada. A expansão da Cafeicultura e da Horticultura – em especial os cultivos extensivos do café (Coffea arábica L.), seguido pelo maracujá (Passiflora edulis Sims) a partir de 1976,quando o POLO NORDESTE iniciava na Ibiapaba, constituíram casos emblemáticos, posto que aquelas áreas ficaram marcadas pela elevada densidade de ocupação e pela intensidade de utilização. Tanto é que muitas nascentes e rios desapareceram, em função do desmatamento das matas ciliares; e muitos rios que eram perenes (Jaburu, p. ex.), hoje são intermitentes. Com isso, a capacidade de suporte do ambiente e as economias das comunidades tradicionais têm sido drasticamente reduzidas, resultando em exclusão e injustiça socioambiental.pt_BR
dc.formatpdfpt_BR
dc.format.extent42 páginaspt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectFontes Hídricaspt_BR
dc.subjectAgricultura Familiarpt_BR
dc.titleUso do afluente de esgoto doméstico (EED) tratado como fonte ídrica para produção de Peixes e Culturas Comerciais pela agricultura familiarpt_BR
dc.typeTese, Dissertação ou TCCpt_BR
dc.audience.educationlevelEnsino superiorpt_BR
dc.contributor.institutionANApt_BR
dc.contributor.institutionIFCEpt_BR
dc.subject.categoryConservação, uso racional e sustentável da água; Gestão da água em ambientes rurais - Conservação de água e solopt_BR
dc.type.copyrightPersonalizadopt_BR
Aparece nas coleções:Produção científica

Arquivos associados a este item

Arquivo Descrição TamanhoFormato 
1.TCC CÍCERO TELES(concluido).pdf2,25 MBAdobe PDFBaixar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons